sábado, 3 de maio de 2014

Os Quilos Chegaram

   Olá caros leitores do Faz Parte de Mim, hoje resolvi fazer um post em defesa dos gordinhos(as), primeiro vamos começar pelo motivo que me levou a fazer isto, ultimamente, precisamente em maio de 2013 resolvi mudar completamente meus hábitos de vida, meus costumes e vícios por motivos particulares, parei de beber, coisa que fazia desde meus 16,17 anos e de fumar, fui fumante por 6 anos. Por ter deixado os maus vícios logo voltei a ficar mais caseiro, diminuí drasticamente as minhas saídas para as noitadas,voltei a ter uma alimentação mais constante, fui contemplado com alguns quilinhos que veio a somar no meu corpo. rsrsrs

                                                                   Este Sou Eu Agora:


Frente

Perfil

    Pois então, como vocês podem ver, os sinais de todas essas mudanças apareceram, porém, o fato que mais me incomoda são as atitudes mal educadas de algumas pessoas que são vítimas dos padrões de beleza determinados pela indústria da moda, que enxergam na magreza o único estilo a ser seguido e excluem todos aqueles que não são  dos seus "mundinhos", a pessoa não gostar de engordar ou não gostar de gordos é uma coisa, mas, uma pessoa chegar em outra acima do peso, e falar: Nossa Maria como você engordou! Nossa Alex você está parecendo uma baleia! Nossa João... e tantas outras observações desnecessárias é um defeito monstruoso para com outro ser humano, pior ainda é quando passam a mão na barriga da gente, como se a gente estivesse gestando a gordurinha que ali está, parece que somos as últimas pessoas do planeta que sabemos que realmente estamos ganhando peso.

Imagino eu, que na casa de todas as pessoas existem objetos parecidos com esses:


Isto mesmo gente, espelhos!

   Logo, não precisam mais falar que estamos engordando, ou que estamos gordos(as), pois, o aumento de peso, não nos impossibilitam de ver um espelho e sabermos o que está acontecendo com os nossos corpos, muito menos passem as mãos em nossas barrigas, os nossos corpos não são extensões dos seus, para ousarem a ter essa proximidade toda. Eu particularmente, estou feliz do jeito que estou, consigo ser feliz assim, e quando bem entender procurarei maneiras de perder esses quilinhos, caso não consiga e daí? Não sou obrigado a agradar ninguém, cuidem de suas vidas, que cuidarei da minha. Se uns tem a barriga grande, como eu, outros tem a língua grande, como aqueles(as) fulanos(as) desorientados(as), nojentos(as) e desocupados(as) que geralmente é beeeem pior, já que eles(as) não dão conta de cuidar de suas próprias vidinhas mais ou menos, procurem pelo menos um serviço ou algo que faça com que se esqueçam de olhar para a gente, não será esses comentários maldosos que acabarão com a minha alto estima que é alta demais para ser ferida.

Por isto, entrego para essas pessoas o troféu língua grande: 


Caso tenham esse tipo de defeito:


   Para concluir, pessoas acima do peso podem sim ser felizes e ter uma vida normal como qualquer outra pessoa, podem ser vários os fatores que levam as pessoas a engordarem, não é correto sair julgando ou criticando as pessoas por elas serem isto ou aquilo. Que sejamos felizes como realmente somos ou estamos. \o/



;)





 


sexta-feira, 2 de maio de 2014

Tarde de Maio

Imagem do Artista: Steve Walker  

   Sinto se aproximando os ventos frios do inverno, e no meio da tarde olhando o céu que se põe sobre a minha cabeça de um azul tremendo e admiravelmente límpido reflito sobre como algumas coisas já não tem os mesmos valores, chego a me questionar se existe mesmo o amor e qual a imagem mais perfeita que temos em relação a este sentimento tão desejado de ser vivido por muitos, mas, que ao mesmo tempo se encontra tão distante dos corações que desesperadamente segue na corrida por ele.
   As cenas que vivemos nos dias atuais nos deixam cada vez mais tristes, só vemos seres humanos se chocando em seres humanos para realizar seus diversos interesses, os mais mesquinhos que se possa imaginar, conforme as "palhaçadas" vão acontecendo, o cerco vai se fechando e virou um salve-se quem puder, quem encontrou o amor, o doce da vida que segure, agarre e faça de tudo para merecê-lo e se valorize para ser merecido.
   Essa bagunça generalizada de relações acontece nos mais diversos meios, com as mais diferentes pessoas: gays, héteros, negros, brancos, pobres, ricos, baixos, altos, gordos, magros e por ai vai, São muitos os que embarcam nessa viagem chamada vida acompanhados, mas, são outros tantos que embarcam na mesma viagem sozinhos, talvez pela falta de opção em se ligar em alguém que nos ajude a enfrentar tantos desafios, talvez pela dificuldade em encontrar uma pessoa que nos faça sentir mais aliviados de tantas tormentas e que traga paz para as nossas almas, pelo contrário as que chegam para os nossos destinos traz para as nossas cabeças, para as nossas costas, para as nossas camas, cargas negativas que definitivamente não é aquilo que precisamos.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Louco de Pedra

   


   O que estamos fazendo com nós mesmos? O que estamos fazendo da nossa existência? Quem é você? Isto! Você ai do outro lado da tela? Estranho né? Proponho-te uma aproximação, venha aqui, vamos conversar! Sim, conversar, pessoalmente. O que tenho para dizer, não é para ser dito nem visto por um computador, quero saber se você tem carne, têm ossos, sangue, pulmão, coração. O quê? Você também sente? Para! Não acredito, você é uma pedra falante.
  É fácil entender, compreender a loucura, estamos loucos, todos estão nos fazendo de loucos, você com certeza não irá compreender a minha enorme loucura, sim. Isto mesmo que você entendeu ou não, sou um louco, louco, louco. Envergonho-me por tudo, me envergonho por vocês, por eles, por elas, por mim, tudo está tão perdido, existem saídas? Onde, onde ficam? Saídas para este planeta? Saídas para este universo? Mentira, paraaa! Você mente, não existem saídas para este mundo tão mesquinho, tão podre, tão competitivo, tão desleal com a maior parte do bolo.
   Se existem, é segredo que é mantido longe, distante das pessoas que buscam um consolo, uma luz, uma razão para continuar acreditando que somos mais que seres parasitas que se agarram em um conjunto de crenças e atitudes que não justificam aquilo que um único homem que nos amou incondicionalmente fez por nós. Se existe estas saídas elas estão longe e somente a existência de um homem tão grande como aquele que nos ofereceu sua vida ou a volta do mesmo para nos curar dessa dolorosa doença da mediocridade e das aparências.