terça-feira, 11 de junho de 2013

Edificando Pontes

   

   Quer se esconder? Se esconda. Não precisa camuflar-se e fingir atitudes, estando no norte ou no sul, não faz diferença, uma hora a gente se esbarra, o mundo é grande, imenso, mas, ele dá voltas e em uma dessas voltas, ninguém sabe o que poderá acontecer. Se manter distante é muito fácil, é muito simples, se bem que depende de qual distância. Quando nutrimos algo por alguma pessoa, a distância física pouco importa, relevamos,ela é amenizada pela distância emocional, que talvez seja o atalho que nos leva para o que pra carne deveria estar por perto.
   Fazendo algo qualquer, estando em algum lugar qualquer, tanto faz, tanto fez, se amando ou apaixonando, um pedacinho da atenção é desviada involuntariamente para aquele(a) que nos faz sonhar dormindo ou acordado, amar é muito bom, apaixonar-se melhor ainda, não existe amor infinito em um lugar onde não há luta para manter uma paixão dia após dia. Cada segundo é um primeiro encontro, permita-se conhecer o alguém que do seu lado está ou do seu lado faz falta. Quer se esconder? Se esconda, uma vez revelado o teu olhar, uma vez desfrutando o teu prazer, está registrado. Ganhe o mundo! Mesmo assim, viverás eternamente em meu peito.
   Antes amor eterno sem relação, do que relação sem amor eterno, quando amor união, sem amor nem sempre. Se viver distante é uma prova, que seja prova, não morro diante dela, distância a gente encurta, as estradas estão aí, viver cada segundo de forma intensa, é a fórmula para quem sabe e tem a real noção de que nada é para sempre, o corpo sendo matéria acaba com o tempo, o amor sendo abstrato vence o relógio,  é imortal, viva para amar somente, estando sozinho ou acompanhado é detalhe, o amor nem sempre é recompensado com um belo telhado sobre as nossas cabeças, ao invés de uma casa, edifique uma ponte ela é capaz de unir dois corações inversos e criar resistências. S2

Nenhum comentário:

Postar um comentário